Começo, família, aprendizes e sucessores

Espedito Veloso de Carvalho - neto de Gonçalves Seleiro e filho de Raimundo Seleiro - era apenas um seleiro hábil vivendo de fazer e vender acessórios para o exercício do oficio de vaqueiros. Assistia este mercado minguar levando junto com ele velhas tradições e os pedidos por selas, gibão,alforge,chapéu, perneia,luva ,bornal e arreios que atendiam a um universo mas amplo que o dos acessórios especializados no trato com o gado, era a escolha lógica. Fazer isso de uma maneira inteiramente pessoal foi o que lhe valeu o título de Mestre.

Hoje, muita gente gravita na órbita dele. No centro das atenções, parece simbolizar uma figura em falta na cena nacional, identificado que é com transparência e retidão de caráter. Divide o reinado com Dona Francisca(in memorian) , parceira de toda vida, com os filhos ,netos , noras, aprendizes, visitantes, parceiros de projetos e amigos sem nenhum sinal de vaidade e longe de compor uma figura autoritária. Impõe-se pela objetividade e pelo domínio do ofícil, A presençca e a fala dele estendem um manto de dignidade sobre os membros dessa pequena comunidade obreira e dedicada,

Reza a sabedoria que todo Mestre tem de preprarar um sucessor. Neste cenário já emerge a figura de Maninho Seleiro e Welington Seleiro, filhos que repetem a cadeia da ancestralidade e herdaram a habilidades do pai.